Fundamentos da Participação e Solidariedade

A você que deseja aprofundar as origens e a fundamentação da Carta por uma Civilização Participativa e Solidária, acesse o vídeo à sua direita (fundamentos) e encontre também a síntese do Livro PARTICIPAÇÃO E SOLIDARIEDADE – A Revolução do Terceiro Milênio (II).
Carta por uma Civilização Participativa e Solidária traduzidas, acesse de acordo com seu idioma:

destaquesacesse nossos vídeos sobre diferentes assuntos.

AS OLIMPÍADAS E O VERDADEIRO BRASIL – OLIMPÍADAS RIO 2016

RETORNANDO À ABERTURA DAS OLIMPÍADAS ENCERRAMENTO DAS OLIPÍADAS RIO 2016

O TERRORISMO E O DESENVOLVIMENTO DA CULTURA DA PAZ

A Inglaterra e a UNIÃO EUROPEIA

Para Reconstruir o Brasil I e II

 

artigossacesse mais Artigos e leia sobre diferentes temas.

duplo-caminho
 O MOMENTO NACIONAL E OS CAMINHOS PARA O FUTURO
Queridos amigos, queridas amigas. Sei que na época em que vivemos, onde a mídia nos atrai por slogans,  marquetizados e com pouco compromisso com a ética, ou com a verdade ,onde o tempo nos é consumido, ou roubado, por toda espécie de atrativos, convidá-lo para  dedicar 20 minutos de seu precioso tempo para uma reflexão maior sobre as realidades que nos cercam e que nos preocupam, é um pouco remar contra a correnteza. Mas agradeço se você me acompanhar, comentar, compartilhar , enfim difundir essas reflexões.
leia mais   |   associe-se ao Grupo Civilização Participativa e Solidária

PRESSUPOSTOS PARA RECONSTRUIR O BRASILUntitled-1

Algumas pessoas, ao acessar meu  último vídeo no qual transcrevo a posição em que 0 Brasil é colocado no ranking de diversos indicadores de nosso grau  de desenvolvimento comparado com o grau de desenvolvimento de outros países,podem ter ficado com a tentação de me colocar entre os pessimistas,entre os que não acreditam no Brasil ou torcem contra o Brasil.
leia mais   |   associe-se ao Grupo Civilização Participativa e Solidária

 

images

PRÊMIO NOBEL – OBAMA

Como em 2009,ao eleger um descendente africano, Barack Obama, para Presidente dos Estados Unidos, mais um vez a sociedade americana surpreendecom a perspectiva de indicar para a corrida Presidencial , cada um dos candidatos com maior ou menor possibilidade de vir a ser escolhido por seu partido e ser eleito por seus delegados Presidente do país : uma mulher, Hilary Clinton no Partido Democrata e dois Latino- americanos, e pasmem ,de origem cubana, no Partido Republicano , Marco Rúbio e Ted Cruz, ambos já senadores. É verdade que o Partido Republicano está por escolher um primata, sobrevivente da era dos dinossauros: Donald Trump. Mas que tivessem concorrido uma mulher e dois latino-americanos, como anteriormente concorreu por duas vezes e venceu um negro, jamais seria de pensar nos Estados Unidos, antes de Obama.
leia mais   |   associe-se ao Grupo Civilização Participativa e Solidária

 

maior_em_reforma

Reforma Política

Os fatos acontecidos no Congresso Nacional referente à mudança da lei orçamentária para dispensar o Executivo de cumprir as metas do superávit primário, mostram a dimensão desagregadora da concentração do poder nas mãos do Estado Federal e, dentro do Governo do Estado Federal, nas mãos do poder Executivo, tornando vazio o conceito de Federação, no primeiro caso, e de independência e harmonia entre os poderes, no segundo. No entanto esses são conceitos inerentes ao Estado de direito acolhido formalmente pela Constituição brasileira, e à sociedade democrática onde imaginamos estar vivendo.
Só imaginamos, porque democracia e concentração são dois conceitos que se excluem mutuamente.
leia mais   |   veja o vídeo | associe-se ao Grupo Civilização Participativa e Solidária

papa

A FAMÍLIA, OS CARDEAIS E O PAPA FRANCISCO

A mídia em todo mundo, tem dado espaço aos debates sobre as questões que afetam a família moderna, ocorridos nos últimos 15 dias no Sínodo dos Cardeais da Igreja Católica , no Vaticano e cujo Relatório  foi divulgado nesse fim de semana. Na pauta dos debates, questões tidas na Igreja Católica como tabus para o debate público e consideradas antes objeto de estudo e discussão entre teólogos e especialistas das Congregações vaticanas: a homo sexualidade, o divórcio  o estado de casais católicos divorciados, e outras questões que afetam  o casamento e a família nos dias atuais.
leia mais  | veja o vídeo | associe-se ao Grupo Civilização Participativa e Solidária

QD02

ANÁLISES PARA O LIVRO PARTICIPAÇÃO E SOLIDARIEDADE 
Durante as comemorações dos 40 anos da Universidade do Sul de Sta Catarina foi lançado o livro Participação e Solidariedade, que fundamenta a Carta por uma Civilização Participativa e Solidária. Na ocasião, professores da mesma Universidade apresentaram novos estudos voltados às análises e proposta do livro. São esses estudos que serão apresentados sucessivamente para aprofundar o significado, disponibilizando-os para seus comentários e downloads.
leia mais | associe-se ao Grupo Civilização Participativa e Solidária

 

Comentários (Comments):

Marilda Anita Fretta Machado Solidariedade,essa é a nossa causa, lutemos todos por um mundo melhor… É possível sim, a participação!!!!
Otávio Zanella Viver hoje requer vida social. Viver em comunidades requer habilidade e respeito.
Habilmente estratégico seu pensamento Osvaldo Della Giustina.
Obs. Levo ao meu face…
Otávio Zanella Os passos jamais serão errantes
Quando todos os caminhantes
Participarem da caminhada sem
As amarras da individualidade,
Com passadas sem preconceitos
E derem passos, passo a passo
Comprometidos de forma solidária.
Arlinda Xavier Parabéns por ter esse conhecimentos e poder transmitir a todos nós obrigado todos temos a obrigação de com carinho ver este video para poder transmitir e nos orientar melhor
Marcos Herdt Parabéns Osvaldo pelos temas que nos levam a criar consciência.
Hudson Dandolini ESTE ILUSTRE CIDADÃO CABEÇA PENSANTE DE NOSSA REGIÃO E MENTOR E CRIADOR DA NOSSA UNIVERSIDADE UNISUL ( FESC). TUBARÃO TEM ORGULHO E GRATIDÃO A SUA PESSOA. ABRAÇO FRATERNO PESSOA DO BEM COLETIVO !!!!!
Abdelhadi Hameurlaine Pour un avenir solidaire en paix
Ilka Relepac Parabéns, professor, pelo o trabalho que o senhor vem fazendo.
Maria Eduarda Furtado de Carvalho Professor Osvaldo, sempre sensatas e lúcidas suas colocações, vindo contribuir , de forma enriquecedora para conscientizar o homem de sua conduta imatura, irresponsável e inconsequente. Continue sua nobre missão.Que Deus esteja consigo. Abraço.
Youssef Brasil Querido Professor Osvaldo Della Giustina : interessante o senhor apontar a justiça como uma dimensão para a solidariedade. Minha pergunta seria, qual é o papel da justiça numa sociedade solidária?
3 de junho às 12:00
Osvaldo Della Giustina Querido amigo e professor.Você sabe o quanto prezo suntonizar comk você.Você põe a quastão da jusriça e da solidariedade em bom mmomnto,dessa cruzada.Na verdade,o conceiro-e a =prática decorrente do conceito não se excluem mais se completam.A evolução,da espécie humana e do universo,ocorre não pla suibstuituição mas pelo acréscimo,pala complementação.As condições decorrentes dos avanços da tecnologia,obriga a que à justiça,somemos a solidariedade,poderia dizer até quie solidariedade é o novo nome da justiça.Tudo bem.
4 de junho às 11:57 · Curtir · 1
Osvaldo Della Giustina Continuando(sem que a pressa do computador me tenha permitido corrigir o erro de mau digitador).A questão toda é que os códigos jurídicos,que consideram a justiça uma exigência legal-e punem os que a violam,não consideram a solidariedade um dever,e nem há punição para os que não a praticam.Isto permite com que,em nome da justiça,alguns assambarquem o mundo (material,cultural, etc.etc.)excluindo,e excluindo cada vez mais um número maior de pessoas,Regiões,povos etc,gerando a insustentabilidade do atual sistema,pelo desequílibrio,,em crescimento contínuo.Em meu vídeo dou o exemplo do que ocorre com os milhões de africanos,preincipalmente,que procuram a Europa e são repelidos,eles cujos povos forma por séculos colonizados-e explorados pelos mesmos Europeus.O mesmo acontece em outras parte do mundo,no oriente,no extremo oriente,na Amperica.Os que assambarcaram o mundo,julgam que basta a justiça-o que é meu,é meu…olho por olho…) e a solidariedade existe,mas apenas como atos humanitários,como atos bondosos,políticas humanitárias,ou compensatórias.Não.É necessário que as leis vejam a solidariedade como um dever com a sociedade,isto é,como um dever jurídico,no tratamento das pessoas,entre si,como nas relações entre os povos Sem a solidariedade posta como um dever de dimensão juridíca, não há justiça.Aprofundemos esse debate.O mundo postecnológico,não pode continuar sendo admistrado ou organizado apenas com os prin-c´pios do mundo pre-tecno logico do tempos do trem de ferro e das dligências.Abraço
4 de junho às 12:18 · Curtir · 2
Youssef Brasil Querido professor Osvaldo Della Giustina , a recíproca é verdadeira! O senhor respondeu de forma brilhante como sempre. A solidariedade e a justiça são as duas faces da mesma moeda. A solidariedade é uma reação genuinamente humana para compensar a falta de justiça, já a justiça é uma regra canonizada pelo homem para compensar uma suposta falta de solidariedade. Digo “suposta ” por entender que a “ausência ” é um ato afetado pela cognição Humana, ou seja um ato racional, enquanto a solidariedade é um impulso ou uma resposta do subconsciente a uma situação produzida pelo homem e que impacta de forma direta seus semelhantes ou o ecossistema. A justiça trata de forma direta dos efeitos causados pelo homem, já a solidariedade é uma resposta natural a qualquer ação que causa danos a qualquer espécie viva ou não. Um grande abraço meu querido mestre e é um prazer como sempre aprender contigo.