Meus queridos.

Faço um pedido a vocês. Me acompanhem por esses minutos ,que alguns hão de achar longos. Compreendo. Por isto dividi essa reflexão em sete pequenos tópicos, que você pode acessar individualmente , à sua escolha. Mas esse 7 tópicos constituem a seqüência de uma  só reflexão, através da qual,junto com você ,pretendo melhor  entender o que está acontecendo no Brasil,procurando a melhor maneira de ajudar o Brasil,neste momento em que o Brasil tanto precisa de nós,meu querido,minha querida amiga,tanto precisa desses nossos preciosos minutos para melhor entendê-lo e ajudá-lo a  sair  dessa crise  em que o mergulharam…

1-      É hora de optar

Em minha última postagem em nossa rede, dizia que era quase um desabafo, por ver a forma como o Brasil estava ameaçado de SER EMPURRADO ao fundo do poço, empurrado pelo jogo de interesses pessoais, corporativos, partidários, também por manifestações de toda ordem, de oposição ou de apoio, onde mais que o amor pelo Brasil, se manifestam fanatismos quase  fundamentalistas,  baseados em ideologias, partidárias ou não, também por sentimentos de ódio, vingança ou paixões despertadas por essa situação de quase confronto a que chegaram parcelas da sociedade brasileira- alternativa de muitos à desesperança, a que foi levada outra grande parcela .

Embora entenda, devo lamentar, e creio que o faça em nome do Brasil, do Brasil atual e de seu futuro, que tantos, não sei se a maioria ou as minorias mais ativas, sejam levados a se posicionar de um lado ou de outro simplesmente a ser a favor ou contra, sem uma necessária racionalidade, ou sem o necessário esforço, para analisar, entender, ou participar positivamente desse momento.

No entanto, sem essa racionalidade e esse esforço de participação positiva, pressupostos de encontrar e agir de acordo com a justiça e a verdade, nada se constrói, ainda que a aceitação da justiça e da verdade exija de nós, de cada um de nós, alguma, ou muita, renuncia pessoal. Mas não há outro caminho… se nosso objetivo é realmente colaborar com o Brasil e não apenas defender nossos interesses.

Mas não há outro caminho quando se trata de fazer com que, sobre os interesses, pessoais ou de outras ordens, sejam consideradas  as exigências do  bem comum, o bem da sociedade, o bem do Brasil. No entanto, é isto de que o Brasil precisa de cada um de nós, ao invés de cada um se deixar levar e de se satisfazer na manifestação dos impulsos, das paixões ,da revolta e até das justas revoltas, que devem causar em qualquer pessoa de bem, a corrupção, a incompetência, o jogo sujo, com que estão enlameando o Brasil, nos enlameando…

Na mesma reflexão dizia que eu não estava me referindo apenas aos políticos, ao Congresso Nacional, ao Planalto, ou ao Judiciário, fatos e procedimentos lamentáveis que se repetem, em proporção às vezes maior às vezes menor, em muitos poderes estaduais e municipais, prostituindo assim toda e estrutura política brasileira, seja de Brasília, de seu Estado, ou de seu Município. É preciso estar atento.

Se toda essa lama que nos está colocando no pelourinho do mundo e nos envergonha diante de nós mesmos quando temos a coragem, ou a honestidade, de nos olhar em nosso espelho interior, pode ser atribuída especialmente aos políticos, de outro lado, não temos o direito de esquecer e de assumir, que esses mesmos políticos foram eleitos por nós, à exceção dos servidores que compõem o judiciário ,com seus imensos privilégios, inclusive o de não precisarem do povo para sentarem na Suprema Corte,com a majestade de suas capas pretas…

Isto quer dizer que as pessoas, cada um de nós, não está isento, cada uma em seu espaço pessoal, de assumir sua parcela de responsabilidade, por terem levado o Brasil á situação a que chegamos, impedindo o Brasil de ser, ou de chegar a ser o Brasil com que sonhamos, para viver com dignidade, envelhecer e criar um futuro digno para as próximas gerações- o Brasil onde vão viver nossos filhos e netos; as próximas gerações.

Diante desse chamado do Brasil, meu amigo, minha amiga, qual a sua opção? É pela revolta? É pela perda da esperança? Ou é para informar-se, pôr-se por dentro e colaborar na reconstrução do Brasil?

 

2- Um apelo às Instituições

Essa responsabilidade comum, de um esforço pessoal para entender e agir dentro da justiça e da verdade em relação a tudo o que está acontecendo no Brasil – e no mundo é assim uma responsabilidade que se estende a todas as pessoas,portanto é uma responsabilidade  também minha e sua, caro amigo,querida amiga, no espaço que cada um tem,ou pode construir,para dar sua contribuição ao Brasil,nesse momento que o Brasil precisa de todos.De todos,mas quero me referir, especialmente:

aos jornalistas e comentaristas dos meios de comunicação, pela força que têm esses meios na formação da consciência da sociedade, freqüentemente distorcida e enganada, diante do açodamento pela notícia,a conquista de pontos no ibope,os interesses ditados  por preconceitos ou ideologismos pessoais, quando não por servirem aos interesses de organizações a quem servem, sem qualquer compromisso com a verdade e a justiça,ou seja,com a ética

às universidades e seus mestres e doutores, que deveriam estar na vanguarda da nova ciência que, mais do que nunca ,deve inserir-se e atuar dentro de uma visão ética do mundo e do desenvolvimento de novos valores sintonizados com os avanços da Ciência e da Tecnologia;

às igrejas, de quem se espera que não se satisfaçam apenas com a denúncia do obvio e tanto mais com qualquer forma de interesses, mas que contribuam no desenvolvimento de consciências sintonizadas com esses valores e na forma de torná-los concretos nas instituições e nas relações humanas;

às famílias, às escolas e a outras instituições sociais e cito, por sua importância e ignificado, as representações corporativas, como a OAB, a CUT,a UNE, a própria CNBB e, enfim os sindicatos,as federações e confederações de trabalhadores e de empresários,cada uma a seu nível e, em especial, ao nível de sua representação…

Nenhuma dessas, ou nenhuma outra instituição, pode se atribuir o direito de  fazer aquilo que bem lhes pareça ,corresponder aos interesses de seus dirigentes, ou mesmo aos interesse das categorias que representam, ou dizem representar, se esses interesses tiverem de ser satisfeitos às custas do Brasil.

 

3 .  Um apelo à sociedade e especialmente a você!

Mas não é suficiente que as instituições respondam ao apelo do Brasil, meus caros amigos, queridas amigas

Só a adesão da sociedade a essa corajosa e necessária análise e percepção da própria sociedade a respeito de si mesma, de suas qualidades, de suas potencialidades e de seus erros, ou seu interesse de conhecer o que está acontecendo no mundo, só isto poderá torná-la uma sociedade verdadeiramente consciente e participativa e, portanto, apta a contribuir na reconstrução do Brasil, o Brasil com que ainda sonhamos

Tenho certeza que esses propósitos perpassam a essência, as aspirações mais íntimas das pessoas, que  constituem essa nova “Massa de Consciência” que existe e cresce no mundo, em torno do compromisso com uma sociedade ética, onde se realize a justiça, se elimine a desigualdade aberrante que separa as pessoas, as regiões e os países, fruto da ambição desmedida, da acumulação sem limite, não só  da riqueza material, mas também dos bens  culturais e  dos benefícios decorrentes dos avanços da ciência e da tecnologia, que deveriam ser participados por todos de forma equitativa.

No entanto, esses bens estão se concentrando cada vez mais em um número cada vez menor de pessoas, países, e regiões, produzindo a exclusão crescente, sob os aspectos éticos verdadeiro pecado social e um crime contra a humanidade crime que infelizmente há poucos que percebem e menos ainda os que denunciam.

É preciso abrir os olhos (e peço a meus amigos que abram) para perceber o confronto entre essa perspectiva de ver o mundo na ótica da justiça, e da honestidade, perspectiva que, por sua importância e dimensão, constitui verdadeira Massa de Consciência em crescimento no mundo, enquanto no Brasil se está passando ao largo, sempre girando em torno das mesmas coisas, lamentando o que se passa, mas mantendo a cumplicidade na manutenção de um Brasil e de mundo que já era, que já não se sustenta…Talvez porque imaginem que pensar, ou envolver-se no esforço de construir um mundo, ou um Brasil diferente, o nosso mundo, o nosso Brasil, exige um esforço grande demais…

É por esta razão que volto a lembrar mais uma vez as universidades, as Igrejas, os comunicadores, alertando que o Brasil não pode ficar assim alheio, à margem da história, do que acontece no mundo e do que está acontecendo a nosso redor… voltado apenas para as pequenas rugas, ou para o passado.

Por isto convido você meu amigo ou minha amiga, por mais que lhe custe ler, ouvir ou estudar, convido você a pôr-se por dentro, superar a superficialidade das redes, a continuarmos a refletir juntos, que não estamos sozinhos, mas compartilhamos com os milhões que no mundo, e também no Brasil, lutam por esse mundo, ou por esse Brasil novo, um mundo diferente, melhor.

Junte-se a nós…

 

4-      Uma perigosa forma de cumplicidade

Minha consciência me obriga a confessar que quando preferimos ficar ausentes, estamos na verdade somando na ameaça permanente de que tudo fique como está,ou regrida ao passado. Isto acontece  inevitavelmente,enquanto nós, brasileiros, continuarmos nos defrontando entre tendências do passado, como esquerda e direita, capitalismo e socialismo, militarismo,nacionalismo ou populismo, e outras formas ultrapassadas de organização e funcionamento do Estado e da Sociedade.

Isto acontece também,quando nos separamos,nos colocando simplesmente a defender ou a atacar as pessoas, as mais das vezes líderes relativos, que nada representam das novas  exigências de um mundo em mudança,a não ser a defesa de seus interesses.

Enfim acontece quando concordamos que  bandidos corruptos e corruptores,ladrões do Brasil e dos Brasileiros continuem achacando e definindo o comportamento das Instituições,lenientes e generosas no perdoar seus crimes para que a sociedade os pague,em seu lugar.

Tal tipo de leniência das Instituições para com o crime e os criminosos,não passa de um certo oportunismo dos que deveriam defender a sociedade contra oc rime e os criminosos.

No entanto,e les também são vítimas de um certo relativismo segundo o qual, para alcançar determinado fim, qualquer meio serve,ou enfim porque aprenderam na universidade, sem  espírito crítico maior, que não é a justiça  a fonte da  verdade,ou é a natureza dos fatos que deve embasar o direito,mas simplesmente  na lei e, muito,muito pior,nas interpretações da lei,e pior ainda,nos pareceres tanto mais válidos quanto mais  bem pagos,ou nas jurisprudências repetidas,que põem Tribunais ou Ministros, acima da verdade e da justiça…

É neste contesto que se praticam, e que devem ser entendidos, os escândalos recentes como os acordos da Justiça aos crimes cometidos por empresários escroques,anistiados pela confissão da enormidade dos crimes dos quais foram indutores e sócios confessos ,mas a quem não faltou também a esperteza própria dos escroques demonstrada na produção de provas contra seus comparsas.

Toda essa história de vilania em que se enredou a iustiça,no entanto,serviu bem ao sensacionalismo de segmentos representativos dos meios de comunicação que souberam tornar esses bandidos em estrelas de sua telas de TV mostrando à sociedade que o crime compensa,que os criminosos podem se tornar heróis,com direito a formar consciências e definir o comportamento dos poderes supremos da República.

Mostrando também à sociedade que quanto maior o crime,maior pode ser a recompensa, quero dizer,que aos escroques foi dado o perdão pleno de seus crimes ,dos crimes passados e do crime continuado,tudo para tornar mais fácil aquilo que deveria ser responsabilidade funcional e pessoal dos responsáveis pela investigação, a descoberta e a repressão do crime,que na ética caolha de seu entendimento, pode ser obtido mais facilmente com o prêmio concedido generosamente aos criminosos.aliás beneficiados também com uma multa generosa que será paga pela sociedade,embutida nos  reajustes do preço da carne.

Enquanto isto, o povo paga, mas para a sociedade dos privilegiados o povo não importa.

 

5- É preciso assumir a responsabilidade sobre a quem entregar o Brasil

Nessa seqüência de reflexões, me referi a fatos e instituições. Da mesma forma e buscando a mesma isenção, devo referir-me, como exemplos extremos dessa triste perspectiva que ameaça aglutinar os brasileiros em conflito entre um e outro lado do atraso.São bons representantes desse perigoso atraso que nos ameaça,o nazi-militarismo de Jair  Bolsonaro,que no perigoso vazio de sua pregação aglutina forças da direita sem causa,e o populismo messiânico de Luis Inácio  da Silva,que que consegue aglutinar todas as misturas dos  revoltados,dos descrentes,dos saudosistas,das esquerdas acéfalas e da direita financeira.

Ai do Brasil,e dos brasileiros se tivermos de optar,amanhã, entre essas trágicas perspectivas,enquanto,por esses e por outros fatores retorna a corrupção generalizada da incompetência, e do compadrio ,produto dos que ,tendo perdido a consciência ética pessoal e funcional,praticam a teoria de levar vantagem em tudo.

No entanto, a sociedade brasileira está ameaçada a nem perceber que, como esses ,  pelo que dize e faze a grande ou a absoluta maioria das  consideradas lideranças brasileiras nem sabe que todo um processo de mudança e renovação está acontecendo no mundo e que, nisto que está acontecendo no mundo, estaria contida a viabilidade do Brasil.Para eles está bem deixar o Brasil assim,sem rumo e sem saber para onde há de ser conduzido.

Com isto quero dizer que na opção entre a manutenção e o retorno ao passado e,ainda,a conformidade com a perda da ética que viabiliza a vida civilizada, ou a integração do Brasil na construção de um novo futuro, deveria concentrar-se o esforço da sociedade,o meu e o seu esforço,queridos amigos, minhas amigas, sobre o que pensam,o que propõem aqueles que se apresentam como candidatos ao nosso voto, para que,através de nosso  voto, lhes seja entregue o Brasil,a reconstrução do Brasil,esse Brasil que é nosso e que desejamos entregar melhor  para nossos filhos..

Meus queridos, é preciso convencer-se que não é suficiente entregar o poder. É preciso exigir muito mais daqueles a quem entregamos o poder, e essa exigência é parte do exercício do voto, sem o que  o direito ao voto perde a legitimidade.Chega de entregar o poder a quem não merece.

 

6  -Enfim,não estamos sós

Face a tudo o que refletimos,é preciso começar a exigir daqueles que a quem vamos entregar o Brasil, um projeto para o Brasil, porque meus amigos,não está existindo- já faz tempo,que não está  existindo um projeto para  o Brasil,e também ninguém está propondo um projeto para o Brasil. Faz algum tempo,e de forma cada vez mais  grave,tudo se faz à base do compadrio,à base de interesses de toda ordem,menos dos interesse do Brasil,e esta é também uma forma de corrupção.Talvez a mais grave de todas as formas de corrupção,até porque ela não está catalogada como crime,e porque não é percebida como crime  pela sociedade.   Nesse lamentável equívoco,os compromissos terminam em propostas e promessas de acordo com interesses setoriais, corporativos,eleitorais,quando não simplesmente acobertando interesses pessoais.Acaso não é isto que estamos vendo no Brasil?

No entanto, não se discute,não se sabe, o que é o Brasil- quais suas potencialidades e a forma como devem ser tratadas como partes do mesmo todo e,portanto,para onde e como devem ser movidas para torná-las instrumento adequado na construção ou na reconstrução do Brasil.

Nesta luta inglória e vazia,nesse ambiente de ganhar espaços ou notoriedade na TV e nos meios  de comunicação,nas redes sociais,não tem havido lugar para o Brasil.O Brasil esquecido.,

Assim,e por isto,o Brasil com que sonhamos,acaba sonhado apenas como uma vaga aspiração, porque os políticos, sim,mas as universidades,os cientistas sociais,ou das engenharias enfim…cada um se fixa em torno de seus setores ou de seus interesses,isoladamente,sem ter consciência de que só um aproveitamento harmônico das potencialidades e seu desnvolvimento solidário,participativo, pode construir o Brasil.

Mas ao referir-me às potencialidades e aos sonhos, não quero me referir apenas aos sonhos e potencialidades materiais do Brasil. Quero me referir também, e sobretudo,aos  anseios essenciais,à formação de uma cultura nacional,ao desenvolvimento da saúde,da educação,do bem estar,da espiritualidade,não como uma esmola,mas como um direito essencial a que todos tenham acesso de forma justa e igualitária. Isto não faz parte da pauta.Como o Brasil,suas potencialidades também estão esquecidas..

O que somos, o que queremos ser, para onde queremos ir,e como fazer para chegar onde queremos ir.

Há um vazio da parte de quem deveria formular essas perguntas e propor-lhe respostas e  neste vazio fica o Brasil à deriva, como o navio que não sabe o porto onde deve  ancorar,e esse navio,que é nossa casa,fica aberto e à disposição de todo tipo de interesse,inclusive  da piratari que o assalta,que é o que estamos a ver..

.Parece que esquecemos, ou que ainda não percebemos, que a questão, a solução e o rumo a ser buscado, não é o Temer, o Lula,o Aécio,o Bolsonaro, ou não sei quem mais nesse imenso vazio de líderes competentes e confiáveis.A operação lava jato importa,sim,mas apenas enquanto pode promover uma higienização do País,apesar do risco em que ela pode incorrer de dividir o país entre  bons e maus,anjos e demônios.Mas ela por si não  construirá o Brasil,e não é suficiente simplesmente destruir o a parte má do Brasil

O que  importa é o Brasil,meus queridos.O que importa  é que  se discuta,se proponha,se tenha e se ponha em prática um Projeto para o Brasil.

É isto que o Brasil, para ser reconstruído está pedindo a todos, a mim e a você, caro amigo, minha querida. Valendo-me da expressiva expressão popular, chega de baixaria.

O caminho da reconstrução não há  de ser uma caminho fácil, como não é fácil a construção de um mundo melhor. Mas é possível e para essa construção, no meu entendimento, existimos no plano de Deus,na vocação do homem ,ou no sentido do universo.

Se no mundo, como no Brasil,existem sinais de retrocessos, do retorno ou da manutenção do passado, e cito o que vem ocorrendo nos Estados Unidos de Donald Trump, ou na Rússia de Wladimir Putin, ou aqui ao nosso lado, na Venezuela de Maduro,também há sinais,e que sinais .. de esperança.

Cito então, na mesma  perspectiva mundial, os avanços dos que querem e lutam por um mundo novo, pelos valores contidos Massa de Consciência,essa consciência mundial em favor da Justiça, dos direitos humanos, da paz, do respeito à natureza sobre que tantas vezes temos refletido.

Quero dizer que esses valores crescem e neles está o caminho para a recuperação também do Brasil. Que esses valores hão de prevalecer sobre o primitivismo de Trump, ou da política brasileira e dos políticos que a conduzem, eu não tenho dúvidas… e nisto está o caminho certo da esperança.

Como exemplo de que eles podem prevalecer, cito o que está acontecendo na  França, onde a sociedade desperta, derrubou as velhas oligarquias da direita e da esquerda, o nacionalismo xenófobo e o populismo barato, semelhante ao que querem alguns que se continue praticando no Brasil, tanto maior a derrota infligida , quanto maiores os extremismos da direita e da esquerda, de Marine Le Pen e Gean-Luc Mélanchon.

Por mais de 70% os eleitores, a França, apesar dos que perderam a esperança e se omitiram, optou  por levar ao poder as novas propostas da França em marcha de Emanuel Macron, confirmadas nas eleições legislativas.

Entre esse valores, coincidentes com os da Massa de Consciência propõe essa nova França:

– a preservação e o fortalecimento da União Européia, confirmando a prevalência do compromisso de cooperação, sobre as diversas formas de nacionalismos xenófobos e a competição desastrosa, herança do passado e de suas trágicas consequências, que em menos de 50 anos, causou no século passado duas guerras mundiais ,que custaram a vida de mais de 100 milhões de pessoas,mais do que ceifava a peste negra da Idade Média.

– o compromisso de acolhimento das ondas migratórias, fortalecendo, de um lado, a prevalência de uma sociedade pluralista, sem preconceitos de raça, cor, cultura, credo, origem ou qualquer outro preconceito, e de outro lado, a solidariedade humana, até como remissão da dívida herdada por tantos povos que migram fugindo da fome, das guerras e da tirania, dívida em grande parte herdada por séculos do colonialismo europeu ;

– a reforma do Estado, incluindo a eliminação dos privilégios, da corrupção e a promoção das reformas necessárias para responder ás expectativas e aspirações de sociedade em um mundo pluralista, globalizado e em continua transformação.

– enfim, o compromisso assumido de exercer o poder como um serviço a favor do povo, para servir à França, à Europa e ao mundo, uma visão,uma proposta e uma responsabilidade diferente do que se vê no BRASI,onde esses valores ainda estão á procura de quem os assuma,os proponha e os pratique.

Mas não está sozinha no mundo, a França ou seu Presidente e não lhe está faltando apoio às sua jovem liderança,à exemplo do apoio recebido da  1ª Ministra  alemã Ângela Merkül, ou do ex-presidente dos Estados Unidos Barak Obama, entre outras lideranças do mundo político e  outros  setores em âmbito mundial

Dentre essas lideranças quero me referir ao líder da maior instituição religiosa do mundo, que inspira  bilhões de pessoas,mais de 1/3 da humanidade, o Papa Francisco ,com seu carisma da palavra e dos atos,dirigida a todos os que acreditam num mundo mais humano,participativo e solidário, todos,independentemente de suas crenças ou de qualquer outro atributo, saindo de sua inércia, para contribuir em sua construção.

 

7- Você também pode dar sua contribuição

Isto está acontecendo no mundo, meu querido, minha querida.

E no Brasil? O que está acontecendo no Brasil? Teremos de suportar até quando o debate  vazio, perfilados de um ou de outro lado das lideranças, dos interesses, dos ódios ou dos amores que não se explicam, a não ser pela prevalência das paixões, ou dos interesses, sobre o pedido de socorro que o Brasil faz a seus filhos, a cada um de nós brasileiros, para que não deixemos que ele, o Brasil, seja traído?

Qual nossa resposta? a desesperança? a revolta? o eu sou contra ou a favor, sem saber bem  porque….porquê a rede Globo….porque o Presidente Temer,….porque a lava Jato? Enfim, o cômodo  o eu nada posso fazer….

Mas você pode sim. Você também pode dar sua contribuição para a reconstrução do Brasil.

Reflita, comente,colabore difunda entre seus amigos.

Compartilhe.

Neste momento dessa forma você estará ajudando o Brasil.

Grande  Abraço.

Postado em:
Last Modified: setembro 18, 2017

Deixe uma resposta

required