Tanto quanto ou mais,estava dizendo,emocionou-me a presença de  milhares de franceses reunidos na Praça do Louvre para celebrar a vitória de Emmanuel Macron,que com apoio de quase 70% dos eleitores franceses,aos 39 anos de idade foi eleito Presidente da França. Minha emoção teve muitas razões.

Entre elas:

– emocionou-me a derrota dos extremismos da direita e da  esquerda,essa triste herança  do passado que teima em sobreviver, também na nossa sociedade, e cujo retorno ameaça a civilização e os valores humanos construídos pela história da espécie humana através de milhares ,talvez milhões de anos;

– emocionou-me a vitória da solidariedade dos franceses e dos povos europeus, contra os nacionalismos  fundamentalistas,incapazes de entender a fraternidade universal,o pluralismo e a convivência harmônica de idéias,de raças e de culturas,ou a cooperação para construir um mundo de paz ,de justiça e de participação no lugar da competição selvagem e da exclusão que ela produz para mais  da metade da população mundial.;

– emocionou-me mais do que a  juventude dos 39 anos  de Macron a juventude de suas idéias,do compromisso público,da busca do poder para servir e não para ser servido:

-Emocionou-me ouvir de quem chegou ao mais alto degrau do poder, o propósito tão raro de ouvir e menos ainda de ver praticado, de assumir e exercer o poder para servir.

“Vim para servir. Servir a cada um de vocês, para servir a França, para servir a Europa, para moralizar o Estado. Vim com a humildade de servir”,afirmou o mais jovem Presidente que a França jamais teve, compromisso raro de ser ouvido e mais raro ainda de ser praticado,por quem assume e exerce o poder.

Meu querido amigo, minha amiga,isto não pode  passar despercebido, alienados que ficamos todos a todo momento, pelas más notícias do Donald Trump,do Wladimir Putin,da lava jato,dos irmãos da batista,da JBS- o banditismo anistiado ou do Kim Jô Mi o tirano da Coréia do Norte, se não reagirmos conscientemente, podem  nos levar a descrer que um mundo melhor é possível

Quero torcer para que muitos governantes do mundo, de um modo especial os governantes brasileiros, e o povo brasileiro, portanto também nós, eu e você,deveriam ouvir e ver os sinais de esperança que acontecem no mundo,dos quis o que está acontecendo na França.é,sem dúvida, um dos grandes momentos.

Se nosso governantes os repetissem e praticassem deixariam der exibir seus carrões e suas comitivas de áulicos ou serviçais,teriam vergonha de receber seus salários escandalosos,numa ofensa à ética,à decência e à convivência civilizada, no  Judiciário que deveria ser o maior exemplo de  virtude e austeridade mas que se multiplica no Legislativo e em algumas áreas do Executivo,especialmente nas empresas estatais,num e vergonhoso assalto contra o povo que é sacrificado para pagá-los,para manter seus escandalosos privilégios..

Não. Esses não vieram para servir. Passam longe da consciência, e da decência, de que ,quem tem o poder,deve exercê-lo para servir.

Se ouvissem e praticassem as palavras do novo Presidente da França, esses marajás do Brasil rejeitariam os foros privilegiados e a sede sem limites  de açambarcar  tudo,de concentrar tudo em suas mãos, a riqueza e o poder,açambarcamento que faz com que falte o pão na mesa de milhões de brasileiros,falte emprego,faltem  as condições mínimas de saúde ,de educação, teriam constrangimento de seus privilégios ,teriam consciência … se tivessem vergonha…E na teríamos chegado onde chegamos,onde nos levaram,onde levaram nosso Brasil…

Mas voltando à celebração da vitória Emmanuel Macron, o novo Presidente da França,

– me emocionou acima de tudo, na comemoração de sua vitória, ouvir a execução do Hino da União Européia, acompanhado pela multidão que o aplaudia, demonstração  da vitalidade da daquela nova Europa e da prevalência da Participação e da Solidariedade, sobre os que desejavam,lá como  em outros países,  destruir uma das mais belas afirmações da competência demonstrada pelos países europeus, que decidiram e foram capazes de substituir pela união e pela colaboração, a ganância de um continente dividido, dos nacionalismos  xenófobos e da competição irracional, que só no século passado levou a Europa e o Mundo a duas guerras mundiais,que custaram a vida de mais de cem milhões de seres humanos.

– emocionou-me a vitória de Emmanuel Macron por representar a vitória da União Européia, fruto da Solidariedade e da Participação, que vem sendo ameaçada pelos  nacionalismos fundamentalistas,pelo egoísmo pequeno da Inglaterra que a abandonou , pelo primarismo de Trump, e que, na França,berço da Liberdade,da Igualdade e da Fraternidade,vinha sendo ameaçada pelo jacobinismo de Marine Le Pen.

-Emocionei-me  ouvir o Hino da União Européia abrindo as comemorações da vitória de Macron e, encerrando as comemorações,ouvir os belos e vibrantes acordes do hino nacional da França, embora não considere tão bela sua letra com seu apelo ás armas e aos batalhões,lembrança de outras épocas e de outras origens. A apresentação do Hino da União Européia – “Ode à Alegria” da Sinfonia universal de Ludwig Beethoven, abrindo, e o Hino nacional da França- A Marselhesa, surgido das glórias da Revolução francesa,  encerrando as comemorações,comprovam para o mundo que o coletivo,o global,não exclui o individual,mas o complementa, lhe dá outra dimensão,uma dimensão muito maior,a plenitude da dimensão humana.

Há dias ouvi a notícia que o wikileaks e seus rackers estavam a divulgar emails rackeados de Barack Obama,apoiando a candidatura de Macron e influenciando,dessa forma,os resultado da eleição francesa.

Se verdadeira a notícia, palmas para Barack Obama. A primeira emoção que senti foi a certeza de que  Deus,ou o destino que preside às história dos homens,não abandonou o mundo.

É preciso que os que representam esse novo e fascinante mundo de novos valores,os valores da Massa de Consciência,não se  dispersem,mas se estendam as mãos e apertem os laços todos os que acreditam nesses valores,gesto que o mundo espera não só dos grandes,mas também dos que desceram à planície,ou daqueles,como eu e você,que apenas fazem parte no mundo,dessa mesma massa de consciência em favor do mundo novo,diferente,participativo e solidário

Porquê só se estendem as mãos os que travam seus conciliábulos nas trevas, representantes do atraso,do primarismo dos conflitos,da guerra dos interesses coligados das armas e dos negócios,da acumulação da riqueza e dos bens,dos nacionalismos jacobinos e da concentração que exclui? Porque não se dão as mãos  todos os que acreditam que um mundo melhor,participativo e solidário, é possível

-Porquê só se  estendem as mãos os se unirem e se ajudarem nos subterrâneos para eleger Donald Trump ,o representante da mais imoral aliança do mundo dos negócios com a   industria da GUERRA, e quero me referir, de modo especial a Wladimir Putin,o eterno Presidente  e representante da máfia russa saído dos subterrâneos da KGB a polícia secreta da União Soviética que durante 70 anos escravizou milhões de pessoas e dezenas de países,ou Marine Le Pain e suas ameaças de destruição da União Européia, seguindo a caminho da Inglaterra ,enriquecida durante séculos pela exploração sobre o mundo,através de seu Império Colonial,tão vasto que nele o sol não se punha?

-Porque só eles podem firmar ajudas mútuas e subscrever acordos por baixo dos panos, na escuridão da noite do mundo, ou das consciências humanas?.

É hora de que os que representantes a nova civilização,a civilização do mundo da diversidade,da solidariedade,dos direitos humanos,do respeito ao Planeta,se unam numa nova aliança,num apoio mutuo,corajoso e persistente.É isto que a civilização espera dos que a representam, dos que representam os valores  da  Massa de Consciência,ou que dela fazem parte,e que chegam ao poder.E deles a Civilização também espera, que, chegados ao poder não mudem,mas tenham a força e a persistência de construir a nova  sociedade,a Civilização da Participação e da Solidariedade.

Eles, e todos os que comungam dos mesmos valores da Massa de Consciência, dentre eles tenho a certeza,você,que nos acompanha nas redes sociais.Acesse,comente,compartilhe.

Postado em:
Last Modified: maio 30, 2017

Deixe uma resposta

required