Meus queridos amigos queridas amigas.
Creio que é o momento de parar de brigar, ou nos desunir, por causa, ou em nome, de pessoas, partidos, ideologias ou outros interesses pessoais ou de qualquer   espécie, ainda que legítimos, para começar a pensar no Brasil.


A história, como tudo o que vem acontecendo hoje no Brasil, já deveria nos ter alertado, que não são as pessoas, mas as propostas , a reflexão séria sobre o País,seus problemas e as medidas transparentes,objetivas e competentes necessárias para superar seus problemas,que deveriam tomar o lugar das paixões,da crítica,do desejo de vingança e de outros sentimentos,que são até compreensíveis,válidos e necessários ,especialmente em momentos como os que estamos vivendo.
Esses sentimentos, porém, não podem tomar o lugar da busca de soluções concretas,como disse,claras, transparentes e competentes, para superar a crise e traçar novos caminhos para o Brasil.Caminhos para o Brasil,repito,não para pessoas,para partidos,para grupos ou para satisfação pessoal.
Isto vale em momentos como este , onde se torna cada dia mais evidente ,a imensa pequenez ética,administrativa e de visão sobre a realidade brasileira e sobre o futuro do Brasil,
-pequenez, ou mediocridade- coadjuvantes eficazes da corrupção, que de tanto repetir-se a cada dia, iguala a todos os que são revestidos do poder,que deveria ser exercido para o bem do País,do Brasil e dos Brasileiros.Mais grave é que esta pequenez a cada dia se revela predominante em todos os poderes, no Legislativo,no Executivo e,infelizmente , a cada dia mais, também em amplos segmentos do judiciário.
E também, meus queridos, é necessário admitir, a existência da corrupção também em outros segmentos da sociedade, como revelam as investigações referentes à corrupção no Brasil.
Não haveria corruptos entre os políticos e demais poderes se não houvesse corruptores, e isto não deve ser referido apenas aos empresários, mas se deve referir aos beneficiários da corrupção que, como câncer ameaça a sociedade, sejam os benefícios da corrupção, o poder conquistado,o enriquecimento fácil,os interesses pessoais satisfeitos, o emprego,a compre e a venda do voto.
O que nos levou a isto? O que é necessário para resgatar a consciência ética do país, resgatar o governo exigindo a competência dos que governam e a postura dos que buscam o governo para servir e não para servir-se dele e, dessa forma, dar origem a uma nova confiança entre governantes e governados, entre a sociedade e a política,entre os próprios segmentos ou pessoas dentro da sociedade,caracterizando-a como uma sociedade civilizada.?
Quero deixar bem claro que esta reflexão não está sendo dirigida apenas aos políticos. É necessário que uma nova postura reflexiva e analítica, longe dos interesses de qualquer espécie, toque os comunicadores, os jornalistas, os usuários das redes sociais, os empresários, o clero e os pastores de todas as igrejas, os professores e estudantes das universidades e de outros níveis de educação,os artistas, formadores da opinião pública,enfim a cada brasileiro,portanto também a mim e a você,meu querido amigo,minha querida amiga,cada um no nível de seu espaço.
Seria necessário que a todos chegasse essa reflexão e o debate nacional ultrapassasse o nível de atacar ou defender pessoas, ou outros interesses e se elevasse à ao debate sobre as medidas necessárias para o Brasil, e isto rapidamente, porque quanto maior a demora maior será o preço a ser pago para frear a íngreme descida para o fundo do poço e retomar o caminho do desenvolvimento.
Parafraseando uma célebre frase de John Kennedy, já é hora de cada um perguntar a si mesmo, não o que o Brasil pode fazer para si próprio, mas o que cada um pode fazer pelo Brasil
Aqui não vai uma acusação pessoal a ninguém, mas uma reflexão para o exame de consciência de cada um. É preciso se preocupar mais com o Brasil, e menos com o destino de Temer, de Lula,de Aécio,de Sarney,ou de sei lá quê falsos líderes de pés de barro,já conhecidos ou ainda ocultos,responsáveis ,alguns mais,muito mais,outros menos,por terem empurrado o Brasil para a situação em  nos encontramos.Eles,como não salvaram o Brasil no passado ao contrário, não salvam no presente e nem vão salvar o Brasil no futuro.
Já dizia Shakespeare em uma de suas peças teatrais, usando a linguagem da época,talvez nem tão politicamente correta, segundo os critérios de hoje:
“Os cavalheiros discutem questões, o populacho discute pessoas”.
Sejamos cavalheiros, meus amigos, queridas amigas.Vamos às questões.
Deixemos de nos desunir por causa das pessoas. Em relação a elas sejamos vigilantes e continuemos exigindo firmeza da Justiça, do Ministério público, da Polícia federal, castigo para os crimes e os que os praticaram, ou continuam praticando, sem que o direito seja ultrapassado pela prepotência, mas  também que o direito não seja invocado para acobertar o crime,como também está acontecendo
Vamos nos voltar a refletir,  a discutir as questões: o lugar a que chegamos em primeiro lugar,e a partir dele,o que é preciso fazer para dele  sair,e construir o novo País,o Brasil que sonhamos,a partir da certeza que esse novo Brasil não cairá do céu,mas terá de ser construído pelos brasileiros,cada um no espaço de cada uma, portanto pela participação de cada um,minha e de você,meu querido amigo,minha querida amiga.
É para essas questões que convido você a se juntar, neste e nos vídeos que postarei nas próximas semanas,se no derem tempo os extremistas,os incompetentes e os que apenas pensam em salvar-se ,ou satisfazer-se a si mesmos, ainda que à custa do Brasil,os convido,dizia, a se juntar a tantos que se dispõem a fazer alguma coisa em favor da reconstrução do Brasil.
Por hoje,acesse nossa rede social,ponha-se por dentro,comente,compartilhe.
Meu grande abraço.

Postado em:
Last Modified: junho 2, 2017

Deixe uma resposta

required