Livre Participation Et Solidarité

 

É com satisfação que vou comentar hoje, com você, meu querido amigo e minha querida amiga, o  lançamento da tradução francesa de meu livro Participação e Solidariedade, que, juntamente com a Carta por uma Civilização Participativa e Solidária ,fundamenta as análises do momento de transição civilizatória que estamos vivendo e a proposta em favor da construção de uma nova sociedade onde se mantenha a primazia da dimensão humana, ameaçada ,essa primazia ,pela velocidade e pela dimensão das inovações que vêm sendo introduzidas pelo processo contínuo de inovação nos campos da  ciência e da tecnologia e as transformações que  estão ocorrendo no processo civilizatório que estamos vivendo

De certeza, meus queridos, minhas queridas, enquanto não se conseguir uma sintonia entre as transformações  que estão ocorrendo nas ciências e na tecnologia, e a lentidão com que  ocorrem as mudanças na organização e no funcionamento da sociedade, é vã nossa esperança de superar as crises e os desequilíbrios que estão que se multiplicam aqui, em cada um de nós, e no mundo, embora de forma diferente em cada lugar e em cada momento.

Devo dizer que a Editora que acaba de lançar o Livro, a Éditions Universitaires Européenes, tem por marca o slogan  “uma editora nova para ideias inovadoras”.  Nova, no entanto ela está presente em mais de 40 países, presencialmente através de seus  representantes, enquanto que ,inovadora, está presente globalmente através da oferta do livro nos meios virtuais, como no Amazon e em outros meios.

Alguns estarão se perguntando como se conseguiu o lançamento de um livro, que afinal não é betseller, aqui e menos ainda lá fora, por uma editora global do primeiro mundo. Alguém estará se perguntando até quanto terá custado colocar um profissional que promovesse tais entendimentos.

Não, minha querida, meu querido. Não houve nem um nem outro.

Vou tentar satisfazer sua curiosidade, ou seu interesse, convidando-o, meu amigo, minha amiga, a refletir um pouco comigo, sobre os fatores que viabilizaram esse lançamento Tenho certeza que será útil, para melhor entender como as coisas podem acontecer.

 Primeiro, refiro-me à força dos meios virtuais, quando utilizados positivamente, para difundir ideias e propostas que venham a dar resposta às inquietações e crises, como dizia, que afetam as pessoas e o mundo.

Depois quero me referir à força das ideias, neste caso representadas por análises e propostas comprometidas apenas com a realidade objetiva ou com a verdade, uma verdade que não é minha, mas que cresce no mundo, e que o livro define como “massa de consciência” em torno de novos  valores ou de valores a serem retomados e que sejam capazes de fazer com que a sociedade e as pessoas sintonizem com o avanços da ciência e da tecnologia, como disse anteriormente.

 Eu não conhecia a Editora Universitária Europeia. Também não conhecia, dentro daquela Editora, uma mulher chamada Julie Dubois, que um dia acessou nosso Site, Participação e Solidariedade, viu nossos vídeos, ali postados graças ao talento e à dedicação de minha assistente e produtora Milenne Kelly, e alguns traduzidos para o Inglês pela também colaboradora Nathalia Erthal  (tradução necessária porque nosso português, infelizmente, não nos permite dialogar com o mundo.

Todas essas, Julie, Milenne, Natália, são parte da  massa de consciência que acabará por contribuir na transformação do mundo. Devo citar ainda a colaboração da Universidade do Sul de Sta. Catarina, Unisul, que colaborou na tradução do livro através do Professor Wendell e da Professora  Sophie ,da Aliança Francesa de Brasileia. A todos, registro meu agradecimento. Sem que essas pessoas e instituições fossem parte da massa de consciência, sem dúvida, nada teria acontecido.

De outro lado, elas são prova de que um mundo melhor é possível.

Depois de registrar as pessoas, quero também registrar a história de como tudo aconteceu e faço isto no propósito de mais uma vez afirmar a certeza de que um mundo melhor, ou seja uma mundo participativo e solidário, é possível.

Num dia qualquer de novembro do ano passado, mal fazem 4 meses, recebi um E mail de Julie Dubois, redatora da Editions Universitaire Européene, que transcrevo:

A Partir desse e mail  se sucederam as mensagens, a sintonia das ideias se fortaleceu em termos de ver e sentir  o momento de transição que estamos vivendo, suas crises e desequilíbrios e,ao mesmo tempo, a esperança ,ou a certeza, de construir o mundo melhor:

Dessa troca de mensagens que operacionalizaram o propósito, sem que essa operacionalidade apagasse  essa certeza(como  equivocamente costuma acontecer com frequência) transcrevo  uma imagem enviada por Julie e transformada em diálogo postado por Milenne em nosso Site

Era essa reflexão, esses personagens e essa história, meu querido amigo e minha querida amiga, que achei que  deveria deixar registrado ,pois que para mim demonstra que um mundo melhor é possível. De que a força das ideias consegue o que, frequentemente os meios materiais não conseguem, que a massa de consciência em torno de valores existe, e de que por causa disto, podemos reforçar em nós a esperança, ou a certeza de que o mundo solidário e participativo irá prevalecer, em sintonia com os avanços da civilização.

Devo também informar que Participação e Solidariedade- a Revolução do Terceiro Milênio, que está com sua  2ª edição portuguesa esgotada, deverá estar disponível em sua  3ª edição, através da Editora da Unisul, parte também da Massa de Consciência que acabará por construir a nova civilização, superando as incertezas, as crises e os desequilíbrios que ameaçam as pessoas e o mundo.

Acesse, meu querido amigo, querida amiga.

Acesse nossa rede. Participe.

Comente. Compartilhe.

Meu abraço - Osvaldo